sexta-feira, novembro 27, 2009

Face oculta

Cada vez percebo menos disto…

Onde será que está agora, a má moeda de que falava Cavaco em 2005?

Será que vamos continuar a assistir a branqueamentos sucessivos do centrão e seus malabarismos?

Agora com estas confusões, veio-me à cabeça, de repente, a detenção do histórico socialista Edmundo Pedro, que no início da década de 80 foi apanhado a conduzir uma carrinha carregada de armas e explosivos, enquanto se perseguiam as FP. Esteve preso onze meses preventivamente e depois…, nada, nem julgado foi. E o julgamento das FP deu no que deu.

Depois admiram-se de a extrema esquerda subir a votação quando o PS está no poder. Eles conseguem governar com tiques mais caciques que a direita. Desde o “No jobs for the boys” do tempo do Guterres, até à nomeação do professor de inglês técnico, passando pela confusão das escutas e suas intenções e a acabar nesta coisa parecida com Estaline, em que até os magistrados, quando não estão com eles, são espiões políticos…

Como dizia Zeca Afonso: “Eles comem tudo…”

sexta-feira, novembro 13, 2009

Quem diria…

Além da compra da TVI pela  PT, conforme o SOL revelou na passada edição, são também referidas manobras para financiar a campanha eleitoral do PS para as últimas legislativas e para ajudar a salvar o grupo empresarial de Joaquim Oliveira (DN, JN, 24Horas, TSF, O Jogo e Sport TV).

in Jornal Sol, edição on-line 13 Novembro 2009

Quem diria que o Sr. Sócrates andava preocupado com o futuro dos jornais do Sr. Oliveira? Entre eles está o já aqui referido pasquim: O DN.

Coincidências de Sexta-Feira 13, se não estivesse numa qualquer escuta, diriam que era mentira de 1 de Abril. E depois admiram-se que, ao usar a comunicação social, o feitiço se vire contra o feiticeiro.

Que sofram agora as consequências: Julgamento pelos jornais.

É apenas e só isso que provocam. E que provavelmente não queriam.

Primeiro, mas mesmo primeiro!

Então agora sempre que se fala em uma qualquer trapacice elaborada por um qualquer militante do PS, aparece colado o nosso primeiro?

Claro está, que o qualquer militante é quase sempre o amigalhaço de longa data, o expert bancário Armando. O tal que, na boa tradição socialista, trepou à custa do bom trabalho no aparelho partidário. Passou de caixa na CGD do Mogadouro, não para a Direcção Regional, mas para a Administração. E quando o BCP correu com os aldrabões da Opus Dei, correu o governo, qual ponta-de-lança da maçonaria, a colocar a Administração amiga à frente dos destinos do dito banco.

E agora vem a saber-se que o primeiro negócio do Sr. Godinho com o estado português, concretizou-se com o Ministério do Ambiente enquanto o nosso primeiro era o titular da pasta.

Porreiro pá!

Cá fica uma foto, possivelmente a primeira, do nosso primeiro.

Socrates_Jovem

domingo, novembro 08, 2009

Maratona do Porto

Decorreu hoje nas ruas do Porto e Gaia a Maratona do Porto.

Como nem toda a gente está preparada para sofrer durante mais de 42 km’s, decorreu em paralelo uma prova de 14 km e uma outra de 6.

Eu, para apreciar parte do percurso que me espera no próximo ano, fui participar na chamada Family Race (14 KM).

Com um dia pouco convidativo a sair de casa, muito menos para correr, lá fui eu justificar a compra de um gorro e umas sapatilhas. Com a chuva a bater forte, puxada por um vento de NO que fustigava, na companhia de mais uns milhares de doidos, fiz o que pude. Depois de uma semana com gripe e febre (se foi A já estou imunizado), com o pingo no nariz a incomodar (era mais uma espécie de massa consistente), o que me obrigava a limpar o dito com alguma frequência (limpar não, era mais uma espécie de expulsão de ranho), lá fui eu fazer mais uma etapa.

E consta assim:

Dorsal:4563 Cl.Geral:894 Cl.Esc.:566 RUI PINHO M VETM PORTUGAL INDIVIDUAL
1:22:33 (Tempo total)
0:06:00 (Tempo/KM)

Acabaram esta prova 1044 atletas, sendo que 634 pertenciam ao meu escalão (veteranos(!) masculinos).

Não está mau…

Tributo ao cão

Sou um admirador da capacidade que alguns animais, os cães em particular, têm para nos conquistar. São uns amigos incondicionais.

No século XIX, o senador George G. West, representou o proprietário de um cão morto pelo vizinho.

O senador ganhou o caso e hoje existe na cidade de Warsensburg uma estátua do cão. O discurso do senador de Missouri está inscrito na entrada do tribunal de justiça.

Eis alguns tópicos do discurso:

"O mais altruísta dos amigos que um homem pode Ter neste mundo egoísta, aquele que nunca o abandona e nunca mostra ingratidão ou deslealdade é o cão."

"Senhores jurados, o cão permanece com seu dono na prosperidade e na pobreza, na saúde e na doença. Ele dormirá no chão frio, onde os ventos invernais sopram e a neve se lança impetuosamente. Quando só ele estiver ao lado de seu dono, ele beijará a mão que não tem alimento a oferecer, ele lamberá as feridas e as dores que aparecerem nos encontros com a violência do mundo. Ele guarda o sono de seu pobre dono como se fosse um príncipe. Quando a riqueza desaparece e a reputação se despedaça, ele é constante em seu amor como o sol na sua jornada através do firmamento. Se a fortuna arrasta o dono para o exílio, o desamparo e o desabrigo, o cão fiel pede o privilégio maior de acompanhá-lo, para protegê-lo contra o perigo, para lutar contra seus inimigos. E quando a última cena apresenta, a morte o leva em seus braços e seu corpo é deixado na laje fria, não importa que todos os amigos sigam seu caminho. Lá, ao lado da sua sepultura, se encontrará seu nobre cão, a cabeça entre as patas, os olhos tristes mas em atenta observação, fé e confiança mesmo à morte."

2009-06-17_00-46-50_17062009646-001

Verdades preocupantes

 

Vais ter relações sexuais? O governo dá-te preservativos!

Já tiveste? O governo dá-te a pílula do dia seguinte!

Engravidaste? O governo oferece o aborto! 

Estas na escola e não aprendes nada? O governo dá-te a aprovação por decreto (ou por cansaço)!

És viciado? O governo troca a seringa, e se quiseres, paga bem para te curares com outra droga!

Detestas trabalhar? O governo dá-te o rendimento social de inserção.

Agora experimenta estudar, trabalhar, produzir e andar na linha para ver o que acontece! O Governo oferece-te uma carrada de impostos e responsabilidades.